Residência UEPB

sexta-feira, 12 de março de 2010

quinta-feira, 11 de março de 2010

Notícia sobre a ocupação

Estudantes ocupam Reitoria e exigem audiência com Marlene

Por: TIAGO FRANÇA E ALBERTO SIMPLÍCIO


Cerca de 50 estudantes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) ocuparam o prédio da reitoria, ontem à tarde, reivindicando da reitora Marlene Alves a administração da Residência Universitária (RU) da instituição. Os universitários, que passaram a noite no local, serão recebidos hoje pela manhã pela reitora.
Ontem pela manhã, os estudantes realizaram uma caminhada de protesto, saindo da Residência Universitária, localizada no bairro da Prata, até a reitoria, em Bodocongó, onde foram recebidos pela Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (Proeg), Eliana Maia. Além da expansão do número de vagas, que é de vinte atualmente, os estudantes querem assumir a administração da casa, que hoje é de responsabilidade da Proeg.
De acordo com a presidente da comissão dos estudantes residentes, Patrícia Ribeiro, é preciso que os próprios estudantes, em parceria com a Proeg, participem de todas as questões que envolvam a residência. “Queremos participar da elaboração das regras da casa e organizar o processo de seleção. A forma como ela vem sendo conduzida não é aprovada pelos residentes. Muitos deles estão preferindo sair da casa e optando por uma bolsa, o que futuramente levará ao seu fechamento”, assevera.
Para a pró-reitora Eliana Maia, não é possível entregar a administração da casa aos residentes, tendo em vista que isso significaria também sua autonomia financeira. Dois pontos que os estudantes afirmam não serem dependentes um do outro. Na reunião com os residentes, ontem pela manhã, a pró-reitora propôs a elaboração de um novo regimento, com a participação dos estudantes para que sejam definidos os pontos que devem estar contemplados no programa de residência universitária. Os residentes aprovaram a proposta, no entanto, a questão da concessão da autonomia financeira não foi resolvida.
EXPANSÃO DESCARTADA
Sobre o possível aumento de vagas na residência, Eliana Maia argumentou que atualmente a prioridade da UEPB é a construção de novas salas de aula e de laboratórios para melhoria da qualidade no ensino. “Mas não abandonados a política de assistência estudantil. Temos um programa de bolsa auxílio no valor de R$ 400 que atende 130 alunos, sendo 80 dos campus Campina Grande. Por isso não devemos pensar agora em novas vagas para residentes, já que seria necessária a construção de uma casa própria com infraestrutura adequada”, afirmou.
Segundo a representante dos estudantes, “vamos avaliar em parceria com a universidade, quantos alunos podem ser comportados na casa de maneira digna. Não somos contra a concessão da bolsa auxílio, mas defendemos o incentivo à residência”, disse Patrícia Ribeiro.

Fonte: Jornal da Paraíba

Notícia do Jornal da Paraíba

Residentes permanecem acampados na UEPB

Por: Alberto Simplício

Ontem pela manhã, a reitora da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), professora Marlene Alves, acompanhada do vice-reitor e da pró-reitora de Ensino e Graduação, professores Aldo Maciel e Eliana Maia, respectivamente, se reuniram com cerca de 30 estudantes, que permanecem acampados desde a última quinta em frente à reitoria, no campus de Bodocongó, em Campina Grande.
Os estudantes, que moram na Residência Universitária (RU) da UEPB solicitaram a abertura do edital para novas vagas de residentes e a responsabilidade pela administração da casa. Atualmente, a residência abriga 17 moradores e a proposta é de que essa quantidade duplique. “Na reunião que mantivemos deu para perceber que não é intenção da universidade manter a residência funcionando, o que é um golpe para a classe estudantil. Nem sequer um edital foi aberto”, disse a representante dos residentes, Patrícia Ribeiro, que assegurou que continuará acampada com os colegas na reitoria até que haja uma garantia concreta de que a residência não será extinta.
Para a reitora Marlene Alves, o movimento dos residentes é legítimo, no entanto não é possível no momento a universidade investir nessa modalidade de assistência. “A residência, que é alugada, não oferece condições dignas de moradia para os estudantes. Não é esse modelo de residência que queremos propagar. No momento, estamos realizando vários investimentos na infraestrutura da UEPB e a ‘casa’ não é prioridade agora”, afirmou a reitora. Segundo ela, a política voltada para os estudantes evoluiu na sua gestão com o aumento considerável do número de bolsas de pesquisa e extensão.

FONTE: Jornal da Paraíba

Jornal da Paraíba

Estudantes proíbem entrada de funcionários

Por: silvana torquato

Como forma de protesto, os estudantes, que moram na Residência Universitária da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), fecharam as portas desde a última quarta-feira, e estão proibindo a entrada dos cinco funcionários e cinco seguranças no local. Eles reivindicam a abertura de edital de vagas para seleção de novos residentes no início do semestre letivo e autonomia na organização e articulação da administração da casa.
Além dos 19 estudantes, mais cinco pessoas que estão matriculadas na instituição vieram morar no local até que nova seleção seja feita. Eles vieram de cidades da Bahia, Rio Grande do Norte e Paraíba para cursar a graduação na UEPB. “Estamos ocupando nossa própria residência como ato de protesto, pois não temos nenhum tipo de autonomia e nós submetemos às decisões impostas pela atual administração da UEPB, através da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Proeg). Como não há novas vagas para os estudantes, estamos deixando quem precisa morar com a gente”, ressaltou.
Segundo a pró-reitora de Ensino e Graduação, Eliana Maia, ainda não foi aberto edital de seleção, porque a UEPB está fazendo um recadastramento dos estudantes beneficiados pela Residência Universitária e pelo Programa de Bolsa de Manutenção do campus I desde o ano passado. “Como o prazo acabou e muitos estudantes não se recadastraram, a partir da próxima segunda-feira, vamos tomar alguma decisão sobre o processo de seleção. E sobre a reivindicação deles, a Proeg não foi informada nem por escrito, como também verbalmente. Estamos esperando que eles se pronunciem e nos procure”, afirmou.
Atualmente, cerca de 80 estudantes são beneficiados pelo Programa de Assistência Estudantil. De acordo com Eliana Maia, quando eles passam pela seleção, têm a opção de escolher pela bolsa no valor de R$ 400 ou morar na Residência Universitária, que fica na rua Marechal Deodoro da Fonseca, 581, na Prata.

Fonte: Jornal da Paraíba

ABERTURA DO EDITAL!!!

PROEG publica editais para Residência Universitária e Bolsa Manutenção no campus de Campina Grande
Qui, 11 de Março de 2010 10:33

A Universidade Estadual da Paraíba, por meio de sua Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG), torna público que estarão abertas as inscrições visando à seleção de alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação do campus I - Campina Grande, para os Programas de Residência Universitária e Bolsa Manutenção, visando o preenchimento de 13 vagas.

As inscrições acontecerão no período de 15 a 26 de março de 2010, no prédio da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação – Assessoria Estudantil, localizado na Avenida das Baraúnas, 351, Campus Universitário, Bairro de Bodocongó, das 8h às 11h30 e das 14h às 16h30.

Os candidatos deverão comparecer à Assessoria Estudantil para o preenchimento de formulário de inscrição, munidos de toda a documentação requisitada no edital. A lista dos classificados será divulgada na PROEG - como também no site da UEPB - e a publicação está programada para acontecer no dia 30 de abril de 2010.

EDITAL

CRONOGRAMA

FIM DA OCUPAÇÃO DA REITORIA

Nesta terça-feira (09), após paralisarmos o funcionamento da Reitoria, fechando as portas e impedindo a entrada dos funcionários, recebemos a informação, por parte do DCE, que a magnífica reitora iria nos receber para uma renegociação.

Agendamos a reunião para as 15h da tarde do mesmo dia. Iniciamos a reunião após uma hora de atraso e reapresentamos nossas reivindicações. Nesta ocasião, além dos Estudantes Residentes, do representante da ADUEPB e dos representantes do DCE, estavam presentes: a Reitora (Marlene Alves), a Pró-reitora (Eliana Maia), o vice-reitor (Aldo Maciel), o Pró-Reitor de Planejamento de Desenvolvimento (Rangel Junior) e o coordenador do setor Jurídico (Belarmino Mariano Neto).

Logo de início sentimos por parte da magnífica a urgência para solucionar as questões que faziam com que permanecêssemos acampados no gabinete da mesma. De prontidão todas as questões pendentes foram esclarecidas e imediatamente aprovadas.

A reitora deliberou imediatamente a abertura do edital para as novas vagas e a aprovação da nossa exigência sobre a autonomia administrativa interna na residência.

Em certo momento ficamos desconfiados da forma com se desenrolou a reunião, muito ágil, direta e sem muitas discussões. Após a comprovação daquilo que até então não acreditávamos está acontecendo, todos comemoramos com aplausos, sorrisos e lágrimas.

Foi difícil, muito difícil, quase 15 dias de luta intensiva, com desgastes físicos, mentais e emocionais. Chegamos a travar alguns conflitos internos para alcançar essa vitória, mas tudo valeu a pena. A alegria e os suspiros de alívios demonstraram que nossa união e nossa força puderam ser maiores dos desafios que enfrentamos.

E nesse momento de felicidade, queremos compartilhar com todos/as amigos/as, companheiros/as, entidades e movimentos que estiveram conosco desde o início de nossa luta.

Sabemos que essa foi apenas a conquista de uma luta, e que para alcançarmos a vitória ainda será necessário superar outros desafios e seguimos unidos e firmes nesse caminho. Ontem (quarta-feira) já iniciamos nossas tarefas enquanto administradores da Residência, numa reunião com a pró-reitoria, discutimos e ajustamos os detalhes de nossa organização e da relação que teremos que desenvolver em parceria com a PROEG para o melhor funcionamento da nossa casa.

Com isso, seguiremos atentos e dispostos a compartilhar das lutas que outros tantos companheiros ainda estão travando. Esperamos poder compartilhar de momentos de trocas de experiências com outros residentes e ainda estarmos construindo a luta do movimento estudantil, que além da causa da Assistência Estudantil, vem discutindo e lutando por outras bandeiras.

Esperamos nos reencontrar em breve e repassar novas e boas notícias sobre nosso movimento. Seguiremos em Luta e que estejamos juntos nela!

quarta-feira, 10 de março de 2010

NOTA DE ESCLARECIMENTO DOS RESIDENTES AOS ESTUDANTES DA UEPB

Nós, os estudantes Residentes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), nos manifestamos contra a política apresentada pela administração da universidade, ocupando a Reitoria da UEPB desde a última quinta-feira (04) e por até então não recebermos nenhuma atenção sobre esse ato de protesto, paralisamos o funcionamento da Reitoria, impedindo a entrada dos funcionários, até que seja apresentada uma proposta que atenda as reivindicações da luta do nosso movimento por Assistência Estudantil e que seja garantida a continuidade da Residência Universitária da UEPB.

Após inúmeras tentativas de negociação, inclusive com uma reunião na mesma quinta-feira com a PROEG (pró-Reitoria de Ensino de Graduação), tivemos uma reunião na sexta-feira com a Reitora Marlene Alves. Nas reuniões, obtivemos a confirmação da não abertura de vagas para entrada de novos residentes na casa e com isso finalizar as atividades da atual Residência.

Atualmente a Residência Universitária da UEPB possui 19 estudantes, apesar de sua capacidade ser de até 40 pessoas, dessa forma. A UEPB deixa de atender estudantes que tem o direito de acesso a essa residência. Em contra partida apresenta apenas uma proposta de BOLSA MANUTENÇÂO (R$ 400,00 mensais). Essa proposta limita a efetivação do direito a Assistência Estudantil, excluindo a possibilidade concreta da existência da instituição Residência Estudantil, uma conquista da luta histórica do movimento estudantil, que garante o acesso a universidade aos estudantes da classe trabalhadora.

Nós residentes exigimos a abertura imediata do Edital para inscrições de novas vagas na Residência e que melhore as condições de moradia existentes hoje. Nossas manifestações são justas, lutamos apenas pela garantia da efetivação dos nossos direitos. Demonstramos, a todo o momento, que estamos abertos ao diálogo, contudo, hoje a ocupação passa do seu 6º dia e, mesmo assim, a REITORIA não apresenta nenhuma proposta de renegociação, sustentando a fala que não mais será aberto edital para a admissão de novos residentes.

Continuaremos firmes na luta contra essa política ultrapassada, apresentada pela administração da UEPB, que olha com descaso a situação dos estudantes.

Moção de Apoio CA de Comunicação e Geografia e DCE

MOÇÃO DE APOIO


Os estudantes residentes na residência universitária ocupam a reitoria desde a última quinta-feira, 04/03/2010, reivindicam o cumprimento dos estatutos da Universidade Estadual da Paraíba parte da Reitoria / PROEG, no que se concerne ao lançamento de EDITAL para provimento de vagas na residência universitária da UEPB, e autonomia na gestão compartilhada da casa.

Ressaltadmos a intenção desta moção de apoio, onde estamos movidos pela busca do entendimento das partes para o atendimento das justas reivindicações dos estudantes, com isso, acreditamos que constituiremos uma Universidade muito mais sintonizada comtoda a comunidade acadêmica.

Assinam a presente moção:

CA - Vladimir Herzog (Comunicação Social)
DCE - Diretório Central dso Estudantes
Centro Acadêmico de Geografia

Moção de Apoio da UNE

Moção de apoio a ocupação da Reitoria da UEPB

No último dia 23 de fevereiro, os residentes da Universidade Estadual da Paraíba, juntamente com o DCE UEPB, CA’s e a UNE, decidiram em Assembléia Geral expulsar os seguranças e tomar por completo o prédio da residência em forma de luta contra a não abertura de vagas para a residência no atual período letivo e pela defesa da assistência estudantil.

Desde o inicio das aulas a reitoria se recusa a abrir o processo de seleção dos novos residentes. Hoje, de cerca de 60 vagas, apenas 19 estudantes são residentes, sendo as demais vagas ociosas.

A Assembléia dos residentes e o DCE UEPB compreendem que a recusa da administração da universidade significa um opção em extinguir a residência e por isso exigimos a abertura imediata das vagas, autonomia e maior participação nas decisões e seleções da Moradia Universitária, criação de residências em cada campus e o maior investimento dos recursos para a Assistência Estudantil.

Nessa luta, no dia 04 de março, depois de uma Audiência sem acordo, os residentes e as entidades estudantis ocuparam a Reitoria da Universidade.

Assim a diretoria plena da União Nacional dos Estudantes apóia a ocupação dos estudantes da UEPB, como forma de luta pela defesa da Assistência Estudantil, especificamente, a Residência Universitária, como também esta, cobra da Reitoria da Universidade, imediato atendimento às reivindicações do movimento.

São Paulo, 06 de março de 2010.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Moção de Apoio do Conselho de Residentes da UFS

Moção de Apoio aos Companheiros/as da Residência da UEPB

O CONSELHO DE RESIDENTES/UFS vem repudiar os atos arbitrários da administração da UEPB, em não abrir edital de seleção para Residência Universitária, impossibilitando a ampliação do programa de residência universitária, ao tempo, que estamos nos somando aos companheiros nesta luta, reforçando a necessidade da autonomia dos estudantes de origem popular.

Gostaríamos de salientar a importância da luta d@s camaradas na defesa de uma assistência estudantil realmente inclusiva, democrática e popular. É a luta d@s estudantes que de fato poderá redefinir o papel social de uma universidade pública. Portanto, companheiros, estamos juntos e, sobretudo, força nessa luta.

E só relembrando uma máxima que norteia nossas lutas aqui em Sergipe:

“Direito negado, residente ocupado”

MOÇÃO DE APOIO da Articulação Regional de Estudantes de BIOLOGIA

ENTIDADE NACIONAL DOS ESTUDANTES DE BIOLOGIA

Articulação Regional -Nordeste


05 de março de 2010

Moção de apoio aos Estudantes da UEPB

A AR/NE (Articulação Regional-Nordeste) da ENEBio (Entidade dos Estudantes de Biologia) vem por meio deste tornar público seu apoio aos estudantes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) no que diz respeito a ocupação iniciada a 24 de fevereiro de 2010 reivindicando autonomia perante a administração da referida universidade e contestando a não abertura do processo de seleção para novos estudantes que necessitam da residência para permanecerem nesta universidade, além disso, os residentes reivindicam novas condições de organização interna, sendo esta regida atualmente pela administração da UEPB.

A não abertura deste edital implica diretamente a não permanência de estudantes na universidade, sendo assim, colocamo-nos solidários a causa dos residentes da UEPB por compreendermos que a luta por autonomia dentro da residência é imprescindível para os que nela residem e, principalmente, por entendermos que assistência estudantil não é “favor prestado” aos estudantes, mas sim uma garantia, mínima que seja, de que todos os estudantes, independente de classe, terão asseguradas condições básicas para permanecerem na universidade.

Diante disto é de extrema importância a organização e a mobilização estudantil para a defesa de uma universidade pública gratuita e de qualidade.

Defendemos o acesso e a permanência dignas para todas/os nas instituições de ensino.

Defendemos a implementação de políticas públicas que garantam o acesso e a permanência de grupos sociais historicamente desfavorecidos.”

(Carta de Princípios-ENEBIO)

AR/NE-ENEBIO gestão 2009-2010

Coletivo Cabeça de Frade UFS

5º DIA DE OCUPAÇÃO NA REITORIA


REUNIÃO COM A PRÓ-REITORIA









Ato público dos residentes em direção a Reitoria






sábado, 6 de março de 2010

Convite

Os/as Residentes da Residência Universitária da UEPB convidam todos/as lutadores e lutadoras para uma noite de Prosa e Verso.

Local: Reitoria da UEPB

Horário: 20:00hs

Data: 06 de Março 2010

Atividade Cultural em apoio aos/as Residentes da UEPB.

Em momentos difíceis é preciso pensar em alguma coisa bonita. (Olga Benário Prestes)

ESTUDANTES OCUPAM REITORIA DA UEPB

Estudantes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) desde quinta-feira (04) OCUPAM a REITORIA em defesa da RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA.

PARTICIPEM TAMBÉM!

Essa luta é NOSSA!

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL JÁ!

RESIDENTES SEGUEM NO 3º DIA DE OCUPAÇÃO DA REITORIA DA UEPB

Nesta última quinta-feira (04) saimos em passeata da Residência Universitária (localizada à Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 581, Prata) em direção a reitoria da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Chegando lá tivemos uma reunião com a PróReitoria de Ensino de Graduação (PROEG). Na reunião estavam presentes DCE, professores, ADUEPB, CA's, Estudantes de diversos cursos da UEPB e da UFCG. Após mais de 5 horas de discussões em torno de nossas reivindicações (autonomia administrativa, abertura de vagas para casa e retificação de resoluções do regimento interno da residência), saímos da reunião com simplismente nada resolvido. A pró-reitora (Eliana Maia) propôs uma reunião com a Reitora (Marlene Alves) para o dia seguinte (sexta-feira) às 9h da manhã. Eram mais de 14h da tarde quando decidimos então, ocupar a reitoria universitária até que tudo fosse solucionado.
Passamos a noite em meio a um místico momento de músicas, conversas e sinergias.
No dia seguinte (05) iniciamos a reunião com a reitora antes do previsto, as 8:30. Logo no promeiro momento, após repassarmos mais uma vez nossas reinvindicações, ouvimos a seguinte afirmação da magnífica Marlene: "A UEPB não abrerá mais vagas para a Residência Universitária!"
Na fala a reitora justifica a "Decisão Administrativa", pelo fato da universitade ter tomado uma decisão precipitada e equivocada, quando em 2005, lançou o programa da Residência Universitária da UEPB. Marlene diz que o modelo existente não representa os desejos da Universidade e que por esse motivo o programa de "bolsa permanência" substituirá temporariamente a residência universitária, até que a universidade construa o modelo exigido pela UEPB, um plano de médio a longo prazo.
Acreditamos que essa resposta resultará na extinção da Instituição de Assistência a Moradia Estudantil e com isso, não abrimos mão dessa reivindicação. Essa decisão arbitrária vai de encontro as
Tendo em vista a intransigência da autoridade com a questão de não abertura de vagas e a não consolidação oficializada das demais questões, decidimos permanecer com nossa manifestação OCUPANDO a Reitoria Universitária até que sejam tomadas as medidas necessárias para uma nova negociação.
Seguimos firmes e organizados nessa luta pela Assistência Estudantil e em defesa à Residência Universitária. Contamos com o apoio de valiosas forças: DCE da UEPB, DCE da UFCG, Centros Acadêmicos, ADUEPB, ADUFCG, SINTAB, Assembléia Popular, Frente Paraibana em Defesa da Terra, das Águas e dos Povos do Nordeste, MAB, SENCE, Movimento Levante de João Pessoa, AJURCC, Coletivo COMJUNTO, Residências Universitárias da UFPB e da UFCG, CA de Letras da UFPB, Sindicato dos Bancários e outros companheiros.

Contamos com o apoio de todos. Essa luta é nossa!


ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL JÁ!

quarta-feira, 3 de março de 2010

Imagens da OCUPAÇÂO


Aniversário de Suênia e de Jeane.



Confraternização dos residentes durante a ocupação, comemorando o aniversário de Suênia e de Jeane.
Reunião com as forças políticas que estão nos apoiando.

Discussão em torno de nossa autonomia.

Momento da ocupação.

Primeiro café da manhã após a casa ocupada.


terça-feira, 2 de março de 2010

Carta Aberta da SENCENNE em apoio aos/as Residentes da UEPB

CARTA ABERTA EM APOIO À LUTA DAS/OS RESIDENTES DA UEPB

01/03/10

A SENCENNE, Secretaria Nacional de Casas de Estudantes regional Norte Nordeste, mais do que repudiar a omissão da Universidade Estadual da Paraíba com a residência universiária vem demonstrar nesta carta aberta TOTAL APOIO À RESISTÊNCIA E LUTA DAS/OS RESIDENTES da UEPB EM DEFESA DA ASSITÊNCIA ESTUDANTIL E DO DIREITO À EDUCAÇÃO.

A falta de diálogo e a decisão unilateral da administração da UEPB em não abrir edital pra residência neste ano de 2010 demonstra o descaso da instituição com a assistência estudantil e o descompromisso com a educação pública de qualidade. Com tal atitude, a UEPB reforça a elitização do ensino superior e vai de encontro às demandas da sociedade e dos movimentos populares que há muito lutam pela democratização do ensino superior.

Por outro lado, parabenizamos as/os residentes da UEPB pelo protagonismo e iniciativa de manter a residência; e mais que isso, por incentivar a organização, participação e autonomia das/os estudantes na defesa do direito à educação garantida pela assistência estudantil, em especial a residência universitária.

A SENCENNE apoia a luta das/os residentes da Paraíba, ressaltando que esta é uma luta de todas/os que defendem uma universidade pública e socialmente referenciada.

Força na luta! Direito não se pede, se conquista. E é na luta cotidiana que se mantém!



Danilo Kamarov
Coordenação geral da SENCENNE
sencenne@gmail.com / sencebrasil.blogspot.com

Moção de Apoio do Movimento Levante da UFPB

Nós, militantes sociais do Movimento Levante da UFPB, apoiamos a luta dos estudantes, que ocuparam a Residência Universitária da UEPB desde o dia 24 de fevereiro de 2010, pois acreditamos na continuidade e consolidação da Residência Universitária, assim como sua autonomia. Repudiamos o desleixo e desrespeito com que a atual administração da UEPB tem tratado a assistência estudantil, ferindo, desta maneira, a educação pública brasileira voltada para as necessidades de nossa sociedade. Esta instituição ao tomar medidas como a não abertura do edital de vagas para seleção de novos estudantes, nesse semestre letivo, demonstra desconsideração às reivindicações que, há muito, são feitas pelos residentes que temem a extinção da Residência Universitária. Sem a mesma, diversos estudantes serão impedidos de estudar por não terem condições materiais para permanecerem em Campina Grande e serão obrigados a retornarem as suas cidades, sendo esta medida uma ofensa ao direito à educação. Ressaltamos a importância da autonomia que os estudantes da Residência têm para se organizarem, mobilizarem e reivindicarem suas necessidades, sendo este direito garantido pela Constituição Federal. Repudiamos o corte do fornecimento de alimentos aos residentes pela Pró-Reitoria de Ensino e Graduação entendendo que esta é uma postura inadmissível a uma instituição pública, que tem recursos voltados para este fim, e que deveria garantir o funcionamento de suas instancias. O Movimento Levante apóia esta forma de organização e resistência dos estudantes residentes da Universidade Estadual da Paraíba por entender a importância da organização popular voltada para suprir as necessidades da sociedade. Destacamos que é importante continuarmos mobilizados nesta luta e não recuar neste momento tão importante de negociações. Força na caminhada companheiros e companheiras de luta!

Movimento Levante

MOÇÃO DE APOIO DO CA DE LETRAS DA UFPB

NÓS, membros e militantes do Centro Acadêmico Augusto dos Anhos, do Curso de Letras da Universidade Federal da Paraíba, gestão “Lutar Quando é Fácil Ceder”, vimos, através desta, apresentar TOTAL apoio ao ato de mobilização e ocupação da Residência Universitária da Universidade Estadual da Paraiba pelos estudantes em luta, salientando a importância da participação maciça do estudante na construção de um movimento verdadeiramente combativo. Bem como, trazer à tona, a discussão a cerca da ASSISTENCIA ESTUDANTIL de fato, enquanto direito e não como uma prática assistencialista do Estado.

Enfocamos a importância das mobilizações como meio para se alcançar as verdadeiras mudanças no sistema de ensino brasileiro, na construção de uma Universidade verdadeiramente Pública, Popular e de Qualidade e, junto com isso, a verdadeira transformação da sociedade em que vivemos.

Em destaque, vimos lançar palavra de REPUDIO a Pró-Reitora da PROEG (Pró-Reitoria de Ensino de Graduação) Eliana Maia, que em uso indevido de suas atribuições, se nega a dialogar com a comunidade acadêmica.

Que o exemplo de vocês sirva como impulsionador de uma avalanche de lutas por todo o país contra o sucateamento das universidades.

FORÇA E LUTA!

Centro Acadêmico de Letras AUGUSTO DOS ANJOS

Gestão “Lutar Quando é Fácil Ceder”

Universidade Federal da Paraíba

ATO PUBLICO

CONVITE


Estaremos realizando nesta próxima quinta-feira (04/03/10) ATO PÚBLICO em protesto a sobre as atuais condições dos Estudantes Residentes da UEPB. A concentração acontecerá em frente a Residência Universitária (Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 581, Prata, por trás da clínica Santa Clara), a partir das 8h da manhã.

Estaremos nesse ato reafirmando as nossas reivindicações junto à UEPB. Convidamos todos/as a participarem conosco desta luta em defesa dos Direitos Estudantis.



CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODOS/AS

ULTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A SITUAÇÃO DOS RESIDENTES DA UEPB

Seguimos firmes na luta, já no 7º dia da ocupação. As dificuldades desde então só fazem crescer.


Esse fim de semana o fornecimento dos mantimentos, que garantia nossa alimentação do final de semana e do desjejum dessa semana, foi cortado. Não conseguimos muitas contribuições financeiras, tivemos que fazer uma coleta entre os residentes, que já estão numa condição muito difícil, para fazer uma feira este fim de semana, e lá fomos presenteados por alguns feirantes, sensibilizados com nossa causa, com algumas frutas. Também conseguimos algumas cestas básicas com alguns companheiros. Com isso estamos conseguindo manter o básico de nossa alimentação até o momento.


Sobre essa questão a PROEG (Pró-Reitoria de Ensino e Graduação) alegou, em documento oficial, que por não existir nenhum funcionário habilitado na casa para a certificação das documentações sobre os mantimentos, estes não poderiam ser entregues na residência. Estamos cientes que está informação é injustificada, já que inúmeras vezes, a administradora contratada pela Pró-reitoria não estando presente na casa para o recebimento da feira semanal, fomos nós, os próprios residentes, que demos o recebido no momento da entrega. Sobre esta questão estamos entrando com uma ação junto ao mistério público contra a Universidade.


Estamos atualmente com 17 estudantes "oficialmente entendidos como residentes" e 07 não oficializados. Também foi encaminhado ofício informando sobre a presença dos estudantes que necessitam de moradia em Campina Grande e solicitando a autorização temporária, junto à PROEG. No mesmo dia recebemos ofício da Pró-Reitoria negando a solicitação.

Ainda, recebemos a informação que a Diretoria ELEITA pela Assembléia Geral dos Residentes não está sendo reconhecida pela UEPB. Ainda estão se dirigindo a nós enquanto "Comissão Representativa", reafirmando o entendimento deles sobre a nossa atuação.

Convidamos a pró-reitora (Eliana Maia) para uma reunião presencial na Residência durante esta quarta-feira (03/03/10), no entanto está se recusou alegando ter outros compromissos em sua agenda. Numa reunião com DCE (Diretório Central dos Estudantes), recebemos a informação que Eliana teria somente a segunda-feira (01) e terça-feira (02) livres durante esta semana. Através da intermediação do diretório, numa tentativa de negociação, agendamos a reunião para terça-feira (02). No ato da entrega do ofício, confirmando a data da reunião, a ilustríssima pró-reitora informa do surgimento de outro compromisso que impediria a realização dessa reunião. Diante da negociação presencial com a mesma, surge a possibilidade da realização da "insistente reunião" para o mesmo dia, ou seja, segunda-feira (01) à tarde. Após nos reunir, a Assembléia Geral, aceitando a proposta, entra em contato com a pró-reitoria informando da decisão e confirmando a reunião para aquele mesmo dia (01/03/10) às 16h. Recebemos a resposta que NOVAMENTE se iria averiguar a agenda da "ocupadíssima pró-reitora" e logo em seguida nos retornariam com a confirmação. Até o momento (12h: 33min de 02/03/10) não recebemos nenhuma resposta.

Todavia, nesse mesmo dia de inúmeras tentativas de negociação para apenas uma reunião no local da ocupação, recebemos ofício encaminhando pela PROEG solicitação à COMISSÃO REPRESENTATIVA o comparecimento ao prédio da Administração Central da UEPB para uma reunião nesta quinta-feira (04/03/10) às 10h.


Sobre estas e outras questões, estamos recebendo um apoio jurídico de um companheiro que é estudante de direito da UEPB e militante do movimento estudantil. Ele está nos ajudando com relação ao mandato de segurança dos meninos que estão irregulares e com os ofícios, documentações e as questões jurídicas sobre nossas reivindicações.

Todas nossas solicitações foram encaminhadas, em documentações devidamente assinadas pela Diretoria, à administração da UEPB. No entanto, até o momento, não obtivemos praticamente nenhum resultado.


De todas, pelo menos, uma notícia otimista: NOSSA ORGANIZAÇÃO e RESISTÊNCIA. Desde quarta-feira passada estamos nos organizando internamente na residência entre a segurança, a alimentação e a limpeza. Praticamente com reuniões durante todo o dia. Apesar do desgaste físico e mental, estamos surpresos com nossa superação, com nossa capacidade de organização interna. Conseguimos manter a casa em perfeito estado de limpeza e administração.

Acreditamos que a causa da nossa luta é maior que esses pequenos desafios que temos que superar. Isso é o que nos motiva a seguirmos com nossa ocupação. Nesse sentido nossa mística tem sido de fundamental importância para nos mantermos firmes, acordados até altas horas das madrugadas e com disposição e alegria no cumprimento de nossas tarefas.


Isso é um pouco do que estamos vivenciando atualmente aqui. Nossa luta permanece com toda força até o atendimento de nossas reivindicações.


Contando com o apoio de vocês.

Há braços muito fortes!

segunda-feira, 1 de março de 2010

ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE A OCUPAÇÃO

Esse fim de semana o fornecimento dos mantimentos que garantia nossa alimentação do final de semana e dos cafés da manhãs dessa semana foi cortado.
Como não conseguimos contribuições financeiras suficientes, tivemos que fazer uma coleta entre os residentes, que já são desposuídos de recursos financeiros, mas puderam doar um ou dois reais que possuíam e fomos domingo à Feira da Prata onde fomos presenteados por alguns feirantes sensibilizados por nossa causa com algumas frutas e mantimentos.


A PROEG alegou oficialmente que como não existe nenhum funcionário habilitado na casa para a certificação das documentações, esta não pode ser entrega na residência. Estamos cientes que está informação é injustificada, já que em inúmeros momentos, quando não se fazia presente a administradora contratada pela Pró-reitoria, foram os próprios residentes que deram o recebido na entrega dos mantimentos semanais.

Estamos atualmente com 17 estudantes "oficialmente entendidos como residentes" e 07 não oficializados.
Também foi encaminhado ofício informando sobre a presença dos meninos na cada e solicitando a autorização temporária, junto à PROEG. Ontem recebemos ofício da Pró-Reitoria negando a solicitação.

Sobre estas e outras questões, estamos recebendo um apoio jurídico de um companheiro que é estudante de direito e ex-militante estudantil da UEPB. Ele está nos ajudando com realção ao mandato de segurança dos meninos que estão irregulares e com os ofícios, documentações e as questões jurídicas sobre nossas reivindicações.

Das solicitações que foram feitas à PROEG não conseguimos praticamente nada.
Primeiro que eles não estão reconhecendo a Diretoria Eleita pela Assembleia Geral dos Residentes. Ainda se diregem a nós como "Comissão Representativa".

Convidamos a pró-reitora (Eliana Maia) para uma reunião na residência amanhã. Porém já ontem (01/03/10) a tarde recebemos resposta justificando o não comparecimento da mesma. Ao mesmo tempo, recebemos uma solicitação a comissão representativa para uma reunião nesta quinta-feira (04/03/10) no prédio da Administração Central da UEPB. Sobre esta questão ainda estamos avaliando a possibilidade de ida dos residentes à Pró-reitoria.

Pelo menos de todas notícias, uma otimista: desde quarta-feira passada estamos nos organizando internamente na residência entre a segurança, a alimentação e a limpeza. Estamos surpresos com nossa capacidade de organização, conseguimos manter a casa em perfeito estado, lógico que isso não é uma tarefa fácil, mas a causa da nossa luta é maior, é o que nos motiva a seguirmos com nossa manifestação

Também ontem tivemos a comemoração do aniversário de Jeane, uma de nossas diretoras.

Isso é um pouco do que estamos vivenciando atualmente aqui na Residência Universitária da UEPB.
Nossa luta permanece firme no sentido do atendimento as nossas reinvindicações.

Contamos com o apoio de todos/as vocês.

Há braços fortes...

Moção de Apoio do Coletivo Comjunto e da Enecos

O Coletivo de Estudantes de Comunicação Social Comjunto, em nome da Executiva Nacional de Estudantes de Comunicação Social (Enecos), declara total apoio à ocupação da Residência Universitária da Universidade Estadual da Paraíba (UFPB), Campus I, situado na cidade de Campina Grande, PB, ocorrida no dia 24 de fevereiro do ano corrente.

Entendemos que a oferta de vagas e a devida manutenção da Residência Universitária dentro de uma instituição federal de ensino é parte fundamental da Assistência Estudantil, que deve prover aos estudantes as condições necessárias para o acompanhamento da vida acadêmica. A não-abertura de edital para a entrada de novos estudantes na Residência Universitária da referida Universidade, situação denunciada pelo ato de ocupação acima referido, é muito mais que a não-execução da propria burocracia da instituição, que prevê em sua própria legislação a oferta semestral de vagas na residência para estudantes que dela precisem para seguir a vida acadêmica: é um atentado ao regime democrático e aos direitos do estudante e do trabalhador, que não recebe do Estado condições básicas e de estímulo à educação superior. Como Executiva, entendemos que a Assistência Estudantil é parte inseparável sobre a Qualidade de Formação do Curso (QFC), isto é, da qualidade da educação dentro da universidade, bandeira que defendemos a nível nacional.

A situação ainda é mais grave, uma vez que o município de Campina Grande, no agreste paraibano, atrai estudantes de todo o interior da Paraíba, do Sertão e da Borborema, que não possuem em suas cidades de origem instituições públicas de ensino superior. Nessa conjuntura, a direção da reitoria deve atentar para seu caráter emancipatório dentro do território paraibano, e a importância inenarrável da oferta de residência para esses estudantes, assim como aos advindos do próprio território campinense, que, igualmente, tem a necessidade de vaga na Residência Universitária para a manutenção da vida acadêmica.

Juntamo-nos, então, aos movimentos companheiros, também apoiadores da ocupação. Vemos como essencial a mobilização, uma vez que as vias de diálogo se esvaeceram. Apoiamos também a eleição de direção da Residência formada por comissão interna, o que garante autonomia aos estudantes para decidir sobre suas próprias necessidades no local, assim ratificando a eleição, ocorrida no dia 24 de fevereiro de 2010.

Coletivo de Estudantes de Comunicação Social Comjunto
Executiva Nacional de Estudantes de Comunicação Social (Enecos)

Nossas Reinvindicações

  1. Cumprimento do Artigo 3º do Regimento Interno das Residências Universitárias da UEPB no que se refere ao Capítulo II que trata do Processo de Seleção para Admissão dos Novos Residentes.
  2. Autonomia na Administração Interna da Residência, entendida esta como:

· Responsabilizar-se pela administração interna da Residência;

· Zelar pela conservação do patrimônio material e moral da Residência bem como pelo seu funcionamento;

· Constituir comissões auxiliares para defender os interesses da Residência quando se fizer necessário;

· Constituir representante para defender a residência, dentro e fora do ambiente universitário;

· Publicar informes e editais sobre a situação da Residência;

· Criação de um Conselho Administrativo;

· Apresentar relatórios semestrais do Conselho Administração;

· Encaminhar à Assembléia Geral os casos que o exigirem;

· Assinar toda a documentação emitida pela Residência;

· Aplicar as devidas sanções a residentes que descumprirem o Regimento Interno;

· Promover atividades Culturais direcionada aos residentes;

· Solicitar aquisição de materiais necessários ao funcionamento da residência;

· Manter intercâmbio com outras casas de Estudantes;

· Fiscalizar e coordenar a limpeza da residência;

· Convocar reuniões junto ao quadro de funcionários;

· Orientar os funcionários da cozinha;

· Fazer levantamentos semestrais do número de vagas da residência;

· Organizar o processo de seleção e admissão de novos residentes conjuntamente com a PROEG;

· Responder às solicitações formais feitas por qualquer residente;

· Dar parecer sobre afastamento de estudantes das residências universitárias para atividades vinculadas ao desempenho acadêmico ou que seja de exigência curricular e encaminhar para PROEG;

· Cumprir e fazer cumprir o Regimento Interno da Residência Universitária da UEPB.

  1. Discutir possíveis alterações de alguns pontos do Regimento Interno.